Relea.se de DNA de Guerreira, Marih Macar


Título: As Amazonas das Montanhas 
Livro IV – DNA de guerreira
Gênero: Romance 
Público dirigido: LGBT



INFORMAÇÕES
  • Páginas: 220
  • Edição: 1
  • Ano de Publicação: 2018
  • Medidas: 16x23

SINOPSE:

Visando aprimorar a raça das amazonas, a princesa Shaya vai à aldeia de Diouxie em busca de apoio para seus planos audaciosos. Apesar de sua chegada se dar em um momento turbulento, que mescla o retorno de Kíria, a chegada de novas forasteiras e uma tensão pré-combate, ela consegue, com a colaboração de guerreiras importantes, formar uma conspiração. No entanto, explosões passionais, traições e uma batalha nas montanhas podem colocar tudo a perder.

Resumo da obra:
Em sua jornada de volta para casa, a amazona Kíria passa na aldeia da rainha Pumah, onde encanta a filha dela, a princesa Shaya, que posteriormente a segue pelas montanhas. Mas o que Shaya queria era algo muito audacioso e ela precisa não só do apoio de Kíria, como de outras guerreiras de grande importância, sem se importar com o surgimento de uma conspiração. Em meio a isso, paixões, combates e traições acontecem.

Mensagem do livro:
Narrar as aventuras e paixões das guerreiras amazonas, uma raça de mulheres fortes que vivem no anonimato.

Quotes
“Em sua aldeia, como em toda a nação amazonas, a princesa Shaya fora acostumada a sempre ter seus desejos atendidos e deleitara-se nos privilégios que a condição de princesa proporcionava-lhe. Não obstante, após passar longo período na civilização dos homens, achava a vida na aldeia um tanto entediante e mantinha-se mergulhada em seus estudos e em suas descobertas. Trabalhava arduamente naquilo em que resolvera se especializar: genética humana.”
“Nessa última aventura, não muito longe dali, elas conheceram lugares parecidos com aquele. No entanto, as duas mulheres que estavam na mesma mesa que elas, tomando cerveja, eram muito misteriosas. Tinham uma linguagem peculiar e o modo de vestir não era tão habitual quanto o que conheciam. Eram incrivelmente bonitas e conheciam aquela região como a palma das mãos, porém não diziam onde moravam. Salvaram-lhes as vidas com adagas e arco e flechas!”
“Sem se importar com mais nada, Diouxie deixou seu posto e irrompeu no quarto onde a bela estaria. Deparou-se com quatro corpos ensanguentados e nada mais.
— Kíria? — chamou e, como não houve resposta, desceu correndo até o salão. Desviou rapidamente pelos poucos homens que ali restavam e que tentaram agarrá-la, só que, de tão bêbados, caíam no chão quando ela se esquivava. Encontrou a rainha Paola e segurou-a pelo braço, aflita”
“— Creio que sim — a princesa pegou a seringa com o sangue e transferiu o conteúdo a um pequeno frasco. Levantou-o diante de seus olhos como se fosse um troféu e sorriu, enigmática. — Faremos assim... Agora você vai dormir e eu fico cuidando dela... — guardou o frasco com o sangue dela nas suas coisas e voltou a falar: — Quero estar ao lado dela quando ela acordar. Qualquer outra pessoa no lugar dela teria morrido, mas ela é incrível, Vênus, acredite! Ela é incrível!”

Nenhum comentário